Dicas para escrever, Técnicas de redação

Como começar a redação do ENEM? Aprenda com este passo a passo!

Encarar a folha de rascunho em branco, na hora do ENEM, é desconfortável para a maioria dos participantes do exame. Isso acontece com você? Pois saiba que não ter segurança o suficiente para começar a redação é uma situação recorrente e deixa muitos alunos ainda mais nervosos durante a prova.

Começar a escrever, porém, é mais fácil do que parece — basta ter as técnicas certas para dar início ao seu texto. Alguns alunos preferem começar a escrever pela argumentação, mas é mais difícil garantir um texto coeso quando se assume essa estratégia. O melhor, mesmo, é começar pela introdução — afinal, as ideias principais são apresentadas nela e, depois, fluem com mais facilidade conforme o texto corre.

Além disso, a introdução é o primeiro contato do corretor com seu texto — e é por meio dela que já mostramos a que viemos, capturando a atenção e o interesse do leitor. É que, começando bem, a leitura se torna mais prazerosa.

Para tirar todas as suas dúvidas, preparamos um passo a passo para escrever um início de texto que vai causar uma boa impressão e aumentar suas chances de conquistar uma nota alta. Essas técnicas aqui apresentadas podem ser aplicadas a qualquer tema que você queira trabalhar.

Passo 1: a tese

Para falarmos sobre a introdução, devemos voltar a um assunto muito presente aqui no blog: a TESE. Se essa é sua primeira vez por aqui, recomendo que você dê uma olhada nos materiais anteriores, na nossa série sobre as técnicas de redação.

Se você já for um leitor habitual, porém, já sabe que o lugar da TESE é na introdução — e que ela representa o ponto de partida da sua argumentação, ou seja, a ideia central que você vai defender até o fim do texto.

Pois bem, sabendo disso, montar a introdução começa a ficar mais fácil. Tendo em mãos uma tese bem elaborada (veja como escrever a tese para a redação do ENEM), passamos para a próxima etapa: identificar a sua situação-problema.

Passo 2: a situação-problema

Uma introdução eficiente garante uma visão geral do assunto que será abordado, explicando a relevância do tema. Algumas perguntas que podem ajudar:

  • Por que a situação explicitada no tema é um problema? Quem ela afeta?
  • Por que o tema é relevante neste momento histórico? Existe algum fato que o trouxe à tona?
  • Trata-se de um assunto bastante discutido na imprensa e no cotidiano das pessoas? Ou não: trata-se de um tabu que dificilmente é tema de conversas e textos?

A partir das respostas a esses questionamentos, e com uma boa tese, já podemos montar uma introdução interessante, que vai levantar o assunto a ser discutido com mais profundidade no desenvolvimento.

Existem, ainda, outras maneiras de começar um texto e que funcionam muito bem — afinal, tudo vai depender do que você sabe sobre o assunto. Vamos às técnicas e seus exemplos práticos?

Passo 3: técnicas para a ambientação (tipos de introdução)

Se mesmo com as perguntas anteriores você ainda não conseguiu elaborar uma boa introdução, as dicas abaixo vão salvar seu texto. E veja: não é preciso saber todos os nomes, nem decorar todas as técnicas. O importante é saber que existem essas possibilidades e estar aberto a usá-las, conforme os seus conhecimentos do tema apresentado. Vamos lá?

‣ Abordagem padrão

“Permeada pela desigualdade de gênero, a história brasileira deixa clara a posição inferior imposta a todas as mulheres. Essas, mesmo após a conquista do acesso ao voto, ensino e trabalho – negado por séculos – permanecem vítimas da violência, uma realidade que ceifa vidas e as priva do direito a terem sua integridade física e moral protegida.”

(Julia Curi Augusto Pereira, 2015)

“Historicamente causadores de inúmeras vítimas, os acidentes de trânsito vêm ocorrendo com frequência cada vez menor, no Brasil. Essa redução se deve, principalmente, à implantação da Lei Seca ao longo de todo o território nacional, diminuindo a quantidade de motoristas que dirigem após terem ingerido bebida alcoólica . A maior fiscalização, aliada à imposição de rígidos limites e à conscientização da população, permitiu que tal alteração fosse possível.”

(Paulo Henrique Caban Stern Matta, 2013)

Este é um formato bem prático, que economiza tempo para ser estruturado. Faz-se uma pequena contextualização, apresenta-se a tese e logo em seguida enumeram-se os argumentos que serão desenvolvidos ao longo do texto.

É preciso tomar cuidado, porém, para não tornar o texto repetitivo, pois você já citou os argumentos no início.

Em uma abordagem como essa, é interessante que os parágrafos do desenvolvimento sejam iniciados por conectivos que tragam a ideia de enumeração — o que garante mais coesão e unidade ao texto, como: primeiramente, em primeiro lugar, a partir disso, some-se a isso.

‣ Dados

“A violência contra a mulher no Brasil tem apresentado aumentos significativos nas últimas décadas. De acordo com o Mapa da Violência de 2012, o número de mortes por essa causa aumentou em 230% no período de 1980 a 2010. Além da [agressão] física, o balanço de 2014 relatou cerca de 48% de outros tipos de violência contra a mulher, dentre esses a psicológica. Nesse âmbito, pode-se analisar que essa problemática persiste por ter raízes históricas e ideológicas.”

(Amanda Carvalho Maia Castro, 2015)

A contextualização do problema é apresentada na forma de números, que dão conta de explicar o tema e trazer um panorama sobre ele. Esse formato é fácil de ser feito, afinal, a maioria das provas do ENEM traz gráficos, de onde os dados podem ser retirados.

O trecho acima foi todo montado, exceto a tese, com base em dados que estavam disponíveis na própria prova. Usá-la a ser favor pode contar muitos pontos. 

‣ Citação

 “‘O progresso roda constantemente sobre duas engrenagens. Faz andar uma coisa esmagando sempre alguém.’ A frase, do escritor e pensador francês Victor Hugo, exprime a ideia de que o sistema capitalista funciona baseando-se na exploração constante dos indivíduos. Analisando esse conceito atrelado à conjuntura atual, nota-se que a publicidade direcionada às crianças, no Brasil , possui um caráter predatório, funcionando como meio de criação de futuros consumistas e explorando a relativa facilidade de se persuadir uma criança, através do uso de elementos do universo infantil.”

(Leandro Henrique Siqueira Molina, 2014)

Trazer uma citação pode ser legal para abrir o seu texto, desde que você saiba o que fazer com ela. Lembre-se que o discurso de autoridade pode tanto ser ratificado (apoiado) quanto criticado.

Ao usar essa técnica, é importante escolher com propriedade a fala que você vai reproduzir no seu texto e dar preferência a pessoas consideradas referências no tema sobre o qual você está escrevendo.

‣ Contradição

Em razão de ser um país miscigenado, o Brasil é tido por muitos como uma pátria tolerante com diferentes religiões. A ideia do sincretismo religioso e de um povo pacífico com credos diversos, inclusive, é usada como uma das principais imagens do país no exterior. Porém, embora várias pessoas acreditem nessa situação, a aparente cordialidade esconde a discriminação e os inúmeros casos de intolerância, sobretudo contra praticantes de religiões de matrizes africanas. O primeiro passo para combater esse cenário é reconhecer sua existência no panorama nacional.

(Lygia Calil, 2016)

Pode-se iniciar o texto com um ponto de vista oposto ao que você irá defender. Na afirmação da tese, deve-se usar conectivos que expressem a oposição, como: porém, no entanto, contudo, todavia.

‣ Alusão histórica

“Na revolução de 1930, paulistas insatisfeitos com a falta do poder político que detinham na República do café com leite usaram a falta de uma constituição para se rebelar contra o governo Vargas. O presidente, cedendo às pressões, garantiu na nova Constituição um direito nunca antes conquistado pela mulher: o direito ao voto. A inclusão da mulher na sociedade como cidadã, porém, não foi o suficiente para deter o pensamento machista que acompanhou o Brasil por tantos séculos – fato evidenciado nos índices atuais altíssimos de violência contra a mulher.”

(Alícia Cristine Salome Rozza, 2015)

Antes de apresentar a tese, você pode usar uma ambientação que a situe historicamente. Para este tipo de introdução, é indispensável apresentar amplo conhecimento de mundo e capacidade de relacionar o tema e o contexto histórico-social.

Caso você não tenha certeza sobre os dados que pretende apresentar, melhor optar por outra estratégia.

‣Definição

“A Lei Seca foi implantada no Brasil no ano de 2008, com a finalidade de reduzir o número de acidentes de trânsito, tendo em vista que 30% destes são causados por condutores alcoolizados. A lei determina que, se comprovada a ingestão de álcool através do teste do “bafômetro” ou exame de sangue, o motorista poderia perder sua habilitação e até cumprir pena, além de pagar uma multa. […] Com a percepção de que seus atos teriam sérias consequências, veio uma notável mudança de postura da população, que passou a deixar seus carros em casa, utilizando outros meios de transporte ou até mesmo não consumindo bebidas alcoólicas.”

(Clara de Araujo Dias, 2013, com adaptações)

Neste tipo de introdução, faz-se uma afirmação inicial que situe a tese, trazendo o significado de um conceito-chave para a argumentação sobre o tema. Neste trecho, a participante optou por explicar o que é a Lei Seca, como ela funciona e qual seu objetivo.

‣ Questionamento

“É comum vermos comerciais direcionados ao público infantil. Com a existência de personagens famosos, músicas para crianças e parques temáticos, a indústria de produtos destinados a essa faixa etária cresce de forma nunca vista antes. No entanto, tendo em vista a idade desse público, surge a pergunta: as crianças estariam preparadas para o bombardeio de consumo que as propagandas veiculam?”

(Carlos Eduardo Lopes Marciano, 2014)

A ambientação também pode ser composta por uma pergunta que convide o leitor à reflexão. Importante salientar que você deverá respondê-la ao longo do texto. Perceba que, neste caso, a pergunta é retórica, ou seja, é apenas um recurso para a condução do raciocínio. Dessa forma, evite respondê-la com um simples “sim” ou “não”.

‣ Outras técnicas:

  • Sequência de frases nominais (sem verbo)
  • Analogia (comparação)

Passo 4: a prática

Nenhuma dessas técnicas aqui apresentadas fará sentido se você não tentar colocá-las em prática antes da prova. Não use sua redação do ENEM como treino! Lembre-se de que os campeões só chegam ao pódio depois de muito suor nos treinos.

Quer se preparar melhor e ter tranquilidade no momento de começar a redação? Compre agora o pacote de correções da 1000 na Redação e saiba se seu texto já está bom o suficiente para os corretores do ENEM.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s